segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Hoje é dia de lua nova


Hoje é dia de lua nova.
Não é um dia qualquer. É especial. Pelo menos para mim.
A Lua Nova é um símbolo de renovação. Tudo começa de novo.
Começou pelas 8.12h, a 06°33' de balança.
A lua e o sol estão em balança desta vez.
A energia de balança assim como a de touro são regidas por Vénus, o meu planeta solar.
Procurei informação mais detalhada sobre as ajudas astrológicas desta lua.
A Lua Nova em Balança é símbolo de cooperação e trabalhos em parceria.
A energia de balança no zodiaco natural ocupa a casa 7, a àrea da vida relativa ao outro, aos relacionamentos, casamento e sociedades comerciais.
Em geral, também a diplomacia é bastante evidenciada e as mediações, contratos e acordos tendem a ser realizados com maior facilidade.
As actividades que envolvam conciliação, acções em conjunto, tratados de paz e fusões, bem como assuntos que envolvam a arte, a beleza, a estética e a moda tendem a ter resultados mais simpáticos assim como a decoração, arquitetura e ornamentos podem igualmente trazer resultados mais benéficos.
A actividade social merece atenção porque se torna mais apetecível e fluída.
Será um período muito harmonioso e tranquilo.
Em suma, enquanto a lua estiver em balança (ou seja, nos próximos 2 ou 3 dias), a paz, cooperação e trabalhos em parceria estarão no ar.
E por hoje ser lua nova, as energias concentram-se e ajudam-nos, se assim o desejarmos, à procura e realização dos nossos projectos de vida, começando pelas mudanças em nós mesmos.
A ver.

"Dull flame of desire", Björk

"Dull Flame Of Desire" (feat. Antony Hegarty)

I love your eyes, my dear

Their splendid sparkling fire
When suddenly you raise them so

To cast a swift embracing glance
Like lightning flashing in the sky

But there's a charm that is greater still
When my love's eyes are lowered

When all is fired by passion's kiss
And through the downcast lashesI see the dull flame of desire

Lindo. Obrigada again, Gabas linda.


quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Ando com esta música no ouvido...

Brandie Carlile the story - brandie carlile

É linda, forte, intensa e tão sentida, verdade?

.....

Já fiz 100 posts! Parabéns ao Chá na Rua... foi tão bom e passou num instante!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Philip Glass, "Glassworks"



Lindo.
A peça é de Philip Glass e a intérprete é Branka Parlic (5/07/2005, numa sinagoga).
Obrigada por me teres apresentado mais uma pérola, Gabas linda.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Madonna - "Sticky and Sweet Tour", Lisboa, 14/9

Madonna foi brutal.
Nem sei como descrever.
75 mil pessoas.
Metros cheios sem parar. Carros em caos. Multidões infinitas.
Filas para entrar, se bem que tivemos sorte porque foi rápido.
A Bela Vista é enorme.
Filas para tudo e para nada.
O jantar foi uma sandocha de leitão e, e...
Consegui não experimentar os wcs.
Fiquei quieta para não me perder e para não perder aquele lugar.
Foi a terceira tentativa.
Começámos por explorar o lado de lá e não se via nada, nem sequer os ecrãs.
Depois, tentámos o pinhal e víamos o palco mas não os ecrãs.
Depois, sem querer, por sorte, decidimos espreitar o que se passava por detrás daquele arbusto, e... voilá! Uma vista maravilhosa para o palco, para os ecrãs esvoaçantes e para tudo!
Ficámos ali até ao fim, apesar das smss que recebi e da vontade que tinha em trazer todos os meus amigos para ao pé de mim.
Mas era impossível encontrar os amigos, apesar de me terem visto os braços e mãos aos saltos enquanto falava ao telefone com esses olhos.
Os telefones pifaram e a multidão sugava a esperança de os ver.
A lua estava linda... redonda.
Madonna é uma rainha.
Rendi-me ao seu reinado para sempre.
Foi a minha primeira vez.
Amei.
Ela é incrível, mesmo do tamanho dos meus dedos ela brilhou a noite inteira.
Dançou sem parar.
Linda, linda.
Eu acompanhei-a como sabia e podia.
As luzes, videos, adereços e cenários foram incríveis.
Reconheci muitas músicas e dancei, dancei, dancei.
Hoje doem-me muito os pés e as pernas.
O "Give it 2 me" foi a última música. Foi brutal, quanta energia!
Ora ouçam lá outra vez:



Até ao teu regresso, Madonna!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Ui, está quase!... Madonna estará em Lisboa em 14/09/2008

Madonna, "Express Yourself" (1989)

Nostalgias... Fame!



"FAME - Life is a celebration"

Não me lembro do "Verão Azul" mas não me esqueço do "Fame"... lembro-me bem quanto sonhava andar um dia naquela escola... e os episódios acabavam tão depressa!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ontem à noite rendi-me à energia, ao brilho e à arte da Meryl Streep

MAMMA MIA!


Meryl Streep: From Oscar Queen to Dancing Queen



Conhecia as músicas quase todas graças à banda sonora repetida do carro dos meus pais a caminho das Beiras e quase dancei no escurinho do cinema... Gostei. Pensava que iria ser uma banhada, mas enganei-me. Eram os anos da minha mãe... foi o programinha perfeito em família... mas eu também gostei. Tudo o que se relacione com cantar e dançar, seduz-me à partida... a verdade é essa.
Parabéns, Meryl Streep.
Ela está fabulosa no filme. Amei as actuações da "Donna & Dynamos". Fiquem até ao fim e não percam o genérico.
Vale a pena ver o filme para descontrair e ficar bem disposta... mesmo para quem tem menos de 60 e mais de 30. ;)
A minha vontade, quando cheguei a casa à meia-noite, era pôr a música do "Dancing Queen" a bombar e dançar às escuras... mas não pude por causa da minha vizinha do roupão cor-de-rosa que aparece a qualquer hora e diz com o seu ar tolerante, "Ó Alexandra, Ó Alexandra... não pode ser... qualquer dia combinamos e eu vou de fim-de-semana para poder dançar à vontade, está bem?... "
Por isso, aqui vai.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Desconfio que tenho problemas kármicos com os transportes...





Estive a pensar seriamente sobre os meus episódios com transportes e após uma breve reflexão, desconfio que se calhar não é por acaso...
Relembrando,

Em 1998 fiz um avião esperar mais de meia hora por mim no aeroporto de Zurique.
Depois de muito choro e pedidos de ajuda em francês alto e desesperado, fui escoltada até ao avião, num carro particular do aeroporto, numa pista debaixo de neve, com a lágrima no canto do olho e com as bochechas redondas e vermelhas de preocupação e stress...

Estupidamente, fui às bagagens despachar de novo a minha preciosa mala de viagem onde todo o meu dinheiro estava escondido... ninguém me tinha avisado que a bagagem seguia directamente para o local de destino quando se fazia escala... imaginem o que senti quando o suiço dos Perdidos e Achados delicadamente explicou a situação... com o nervoso, troquei o número da gate... fui parar às partidas para Londres e depois, andei a correr e em pânico, perdida em labirintos de mangas metálicas a tentar acertar na gate certa... sem qualquer exito, claro.
Não sei o que me teria acontecido se tivesse perdido o avião... estava sozinha sem cartões e sem dinheiro no bolso.

Depois, em 1999, no meu primeiro interrail, achei por bem parar um comboio em Espanha, por razões de segurança e em legítima defesa pessoal e de terceiros... afinal, eu via raios por cima da minha cabeça!... na altura, pareceu-me urgente reagir. O pânico foi tanto que, ao puxar os martelos do comboio, estoirei com todos e bloqueei, sem querer, o comboio. Ficámos todos parados no meio do nada durante horas e fomos todos de pé no próximo comboio durante horas...

Curiosamente, também já parei o autocarro da Vimeca (por uma amiga ter sido atropelada nesse instante).

Também já tive um acidente de viação com um taxi e com um eléctrico ao mesmo tempo debaixo de uma enorme tempestade...

Entre outras vezes, na semana passada, o meu carro pifou à noite na A1. Fiquei sem caixa de velocidades em andamento. Experimentei pela primeira vez e apesar de tudo, gostei de viajar na cabine gigante e alta dum reboque.

Nesta segunda-feira o comboio onde eu ia chamuscou-se... arderam, inexplicavelmente, os freios da carruagem da frente. Gerou-se o mini-pânico e a confusão. Parámos no meio do nada. Cheirava a fumo por todo o lado. Regressámos à estação de Fornos de Algodres. Chegaram bombeiros e electricistas. E passados duas horas, retomámos a marcha a 80 Km/h. Cheguei três hora e meia depois ao meu local de destino.

Tenho ou não uma relação sinistra com os transportes? Será normal? Será crónico? Será kármico?