terça-feira, 29 de julho de 2008

Já alguma vez...? - Parte II

Já alguma vez te beijaram pela primeira vez em andamento numa auto-estrada e de surpresa?
Já alguma vez fizeste o teu melhor sprint por fugires, em desespero, de um bezerro que corria em fúria atrás de ti?
Já alguma vez num aeroporto, sentiste a barreira do check in, não podendo ajudar uma amiga que acabava de saber que não poderia voar contigo porque tinha, sem saber, perdido o seu bilhete de avião?
Já alguma vez tomaste banho à noite com amigos numa cascata quente numa floresta, com velas e copos de vinho, mas cheia de medo por te sentires num filme tipo “Blair Witch Project” e por terem aparecido de carro cinco ou seis homens para também ali tomarem banho contigo?
Já alguma vez salvaste uma amiga que, sem se esperar, adormeceu a andar e que parecia que não se iria desviar do poste de iluminação na rua?
Já alguma vez te salvaram de morreres atropelada por uma carruagem de turismo de cavalos que corria em velocidade na tua direcção no meio de uma praça?
Já alguma vez perguntaste a um casal de gays se eram irmãos por serem tão tão iguais um ao outro?
Já alguma vez disseste com um tom vitorioso de descoberta a alguém que “afinal estás grávida”, quando ela afinal estava apenas gorda?
Já alguma vez um gay bailarino te pediu para dançar com ele para servires de mesa de apoio para ele?
Já alguma vez dançaste com um homem metade do teu tamanho com prazer?
Já alguma vez te apaixonaste por um gay não assumido?
Já alguma vez chamaste os bombeiros num sábado aleluia às duas da manhã, para salvarem a tua gata que miava num terceiro andar, em parapeito alheio, por ter decidido dar um passeio pela porta da varanda sem conseguir regressar, fazendo inversão de marcha nesse minúsculo parapeito?
Já alguma vez foste a algum lugar sem encontrar alguém conhecido?
Já alguma vez ofereceste uma televisão por remorsos e na tentativa de preencher o vazio e a solidão de alguém que serias culposamente responsável?
Já alguma vez foste madrinha de um cão lindo?
Já alguma vez os teus amigos gozaram contigo por não teres visto o Verão Azul?
Já alguma vez adormeceste à mesa de um restaurante depois de obrigares as tuas amigas a mudar de mesa por causa da vista da janela?
Já alguma vez te saltou o parafuso da correia de transmissão e perdeste a caixa de velocidades enquanto andavas sozinha a 120 Km/h na 2ª circular à uma da manhã?
Já alguma vez puseste amigas tuas a empurrar o teu carro de madrugada em grande esforço, galhofa e correria?
Já alguma vez atropelaste um gato preto de noite?
Já alguma vez imaginaste vibrar com as músicas de uma rádio cujo público alvo são miúdos de nove a quinze anos?
Já alguma vez um professor interrompeu e partilhou publicamente na aula que aguardava o teu suspiro do dia?
Já alguma vez foste vítima de treinos adolescentes e te beijaram contra a tua vontade?
Já alguma vez te viste obrigada a devolver uma gata porque ela tinha tinha?
Já alguma vez num casamento o vento te levantou o vestido rachado, deixando à vista o teu rabo solitário e maroto?
Já alguma vez choraste de tanto rir?
Já alguma vez participaste em concursos da melhor gargalhada do grupo?
Já alguma vez te convidaram do nada no metro para vender produtos de beleza da Oriflame?
Já alguma vez foste à maternidade conhecer uma recém-nascida e perguntaste ao pai quem era o pai desse bébé?
Já alguma vez um amigo teu casado, futuro pai, pensou e questionou se tu tinhas perguntado à mãe, ainda grávida, quem seria o pai dessa criança?
Já alguma vez perdeste amigos por ciúmes absurdos das suas namoradas que os obrigaram a preterir-te?
Já alguma vez te viciaste a comer framboesas ou mirtilos ao pequeno-almoço e chocolate preto a todo o momento enquanto trabalhas?
Já alguma vez celebraste a vitória despropositadamente, euforicamente e irreflectidamente, com um ladrão carteirista incendiário ex-toxicodependente preso na EPL, pela absolvição de um dos seus crimes?
Já alguma vez assististe à transformação de um julgamento de crimes de abuso sexual de menor em troca ao vivo de declarações de amor entre arguido maior e ofendida menor?
Já alguma vez compraste códigos que se desactualizaram nessa mesma semana?
Já alguma vez pedalaste em sofrimento kilómetros em troca de uma bicicleta para a tua sala de jantar?

terça-feira, 22 de julho de 2008

Festival Internacional de Tango de Sitges

Uma amiga minha foi ao Festival Internacional de Tango de Sitges e elegeu o par Sabrina & Ruben Veliz como o melhor de todos que lá passaram! Eu não tenho dúvida alguma que eles são muito muito bons... Ora vejam:




Sabrina & Ruben Veliz, NY
Obrigada, Gabas linda, por partilhares estas coisas lindas comigo...

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Até jazz, numa esplanada ou anfiteatro ao ar livre perto de si

Um amigo convidou-me para ir ao Teatro D. Maria II... mas não para ir ver teatro mas para ouvir jazz, numa esplanada ao ar livre numa destas noites de verão... acho uma ideia brilhante e seguramente ganha, apesar de ainda não ter experimentado... Não resisto em não partilhar convosco. Aí está o calendário e programa.

No entanto, precisava de ajuda para escolher quais são os concertos a não perder... percebo pouco ou nada de jazz...
e o jazz mergulha no verão de Lisboa em força: temos "Outros Palcos" no D. Maria e o "JAzz em Agosto" na Gulbenkian....


"De 16 de Julho a 16 de Agosto, a esplanada do TNDM II, no Rossio, recebe catorze concertos, de entrada gratuita, de vários grupos de música que prometem animar as noites quentes de Verão e temperá-las com as sonoridades do jazz e das músicas do mundo."


BIG BAND ERA - ANOS 50 16 Julho [+ info]
ON DIXIE 17, 22, 26 Julho [+ info]
OPEN SOURCE 18 Julho e 16 Agosto [+ info]
JON LUZ 19 Julho e 8 Agosto [+ info]
YEMANJAZZ 23 Julho e 15 Agosto [+ info]
LITTLE CAT BLUES BAND 24 Julho [+ info]
MOI NON PLUS 25 Julho e 6 Agosto [+ info]
MARTA PLANTIER E LUÍS BARRIGAS EM “FUCKING NOTES” 29 Julho e 12 Agosto [+ info]
BOX OF BLUES 30 Julho [+ info]
FUNKOFFANDFLY 31 Julho e 7 Agosto [+ info]
UMA COISA EM FORMA DE ASSIM 1 Agosto [+ info]
TRIO BÁRBARA LAGIDO 2 e 13 Agosto [+ info]
BARUK 5 Agosto [+ info]
FUNKY TOUCH 9 e 14 Agosto [+ info]
P/Todos
Entrada Livre

Concertos na esplanada
Praça do Rossio
16 de Jul a 16 de Ago 2008
3ª a Sáb. 23h30

Em breve, também soará jazz todas as noites de 1 a 9 de Agosto, no anfiteatro ao ar livre e no Anfiteatro 2 da Gulbenkian. Também a não perder!

Sexta, 1 Ago 2008, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre Otomo Yoshihide New Jazz Orchestra feat Axel Dörner, Cor Fuhler, Mats Gustafsson (Japão, Alemanha, Países Baixos, Suécia)
Sábado, 2 Ago 2008, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre Satoko Fujii Min-Yoh Ensemble (Japão/EUA)
Domingo, 3 Ago 2008, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre John Zorn / Fred Frith (EUA, Reino Unido)
Sexta, 8 Ago 2008, 15:30 - Auditório Dois «The Changing Scene»Mesa Redonda moderada por Bill Shoemaker com a participação dos músicos Joe McPhee, Taylor Ho Bynum, Mary Halvorson e Barre Phillips
Sexta, 8 Ago 2008, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre Sylvie Courvoisier Lonelyville (Suíça, França, Japão, EUA)
Sábado, 9 Ago 2008, 15:30 - Auditório Dois Fritz Hauser (Suíça)Solo percussão
Sábado, 9 Ago 2008, 18:30 - Auditório Dois Pascal Contet/Barre Phillips (França, EUA)
Sábado, 9 Ago 2008, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre Peter Brötzmann Chicago Tentet (Alemanha, EUA, Suécia, Noruega)

Bilhetes: de € 12,50 a €20
Até jazzz!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

"The never ending story"

Alimentando a noltalgia do passado, não posso deixar de publicar este trayler no meu blog. Gostei muito deste filme. Lembro-me bem que o vi! Acho até que ele é o mais marcante da minha infância... lembro-me perfeitamente de ir vê-lo ao cinema com o meu pai. E isso foi completamente marcante porque naquela altura era raro o meu pai ter tempo para ir comigo a qualquer lado... guardei na memória a imagem do cão branco voador... e hoje revi o excerto deste filme e a parte do voo do cão branco com o miúdo... se quiserem fazer uma "regressão" como eu fiz, aqui está:



e, claro, adoro a música por isso... traz-me boas recordações e uma sensação de colo.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Recordando "Dead Can Dance"...

" The Carnival is over"


"Saldek"


"Cantara" (alive)


Para os mais curiosos, deixo os links que descobri de Dead Can Dance: http://www.deadcandance.com/ e http://www.dead-can-dance.com/.
Ouvia tanto estas músicas quando tinha dezasseis anos... e de facto, ainda gosto muito de os ouvir.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

"VADIOS" é mágico e lindo... e o Trio NASCER também. Quero mais! Obrigada CCB.

Camané com Bernardo Sassetti, Mário Laginha - "OS VADIOS" - Festival de Música Portuguesa, Hoje, no sábado passado, dia 12 de Julho, no CCB

O fado está em todo o lado!...
... e fica bem em qualquer momento, espaço e enquadramento, não é?
Gosto muito de ir a uma casa de petiscos e ouvir fado ao vivo.... qualquer fado, vadio, triste, alegre, fado à desgarrada, fado malandro.
Comer um pastel de bacalhau quentinho, beber uma imperial e ouvir um faduncho ali mesmo ao lado é um pitéu. Isso é possível ali mesmo no Largo da Graça... não me lembro do nome do sítio, já lá fui pelas cinco com o meu primo e foi uma tarde inesquecível.
Gostava de descobrir mais sítios de fados ao vivo assim. Alguém me sabe dizer? Mas não queria pagar balúrdios!
Por falar nisso, agradeço ao CCB ter-me proporcionado dois concertos inesquecíveis a 5 euros cada um... maravilhoso.
Retomando o concerto do Camané com os meus pianistas portugueses de eleição que chegaram a tocar um fado a quatro mãos... e com o Carlos Bica como convidado.
Como é possível o mesmo fadista ser tão versátil e o fado ficar bem em tudo... até no tango, eu danço fado!
Fiquei tão tão tão contente e satisfeita com este concerto... foi tão bom e tão lindo.
Os meus amigos também vibraram como eu... aliás, todo o Grande Auditório vibrou. Não compreendo como não foi gravado aquele concerto. Espero que não seja verdade. Foi um êxito e merece ser repetido ou gravado, na minha opinião. Aposto que seria um êxito de vendas.

Ora vejam os ensaios deste concerto:

Caso não consigam ver este video, experimentem o link do video:

Que dizer mais? Viva os "Vadios". Espero que não desapareçam como aconteceu com os HUMANOS... embora neste caso se compreenda bem o porquê.

Também adorei descobrir o TRIO NASCER com o João Paulo (pianista), Ricardo Dias (acordeão) e Peter Epstein (sax alto). Foi muito muito muito bom.
Vale a pena ouvir ou comprar o cd. Ora ouçam lá:

"Deolinda"


e

"Durme"
Estou orgulhosa da música portuguesa de HOJE!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

São Pedro do Sul e Duran Duran

Agora que a amiga PI recordou os nossos tempos de São Pedro do Sul, não resisto em partilhar esta música dos Duran Duran que nesse ano um amigo nosso teve a paciência de traduzir a letra, espalhá-la por todos nós em papelinhos para podermos cantá-la todos juntos em português.

Foi lindooooo! Um esforço e uma ideia bem bonita. Lembram-se disso? Obrigada, Fanan.

Lembro-me também dos crachás feitos por ele e pelo Tonan com dedicatórias especiais para todos.

Foi muito lindo esse ano novo... foi nesse ano que os meninos se vestiram a rigor e foram buscar cada uma de nós aos quartos para jantar e dançar no Bon Jau, não foi? Acho que foi a primeira vez que lavei com gosto os pratos na cozinha de um restaurante!

Recordo-me, com pasmo sobre mim própria, aquele momento na piscina do Clube Campo de Gerós em que por querer aderir (embora pudicamente) à causa de entrar no novo ano como viemos ao mundo, patinei demasiado tempo em aflição em momentos subaquáticos intermináveis (quase sem respirar) por o meu vestido de fazenda ser demasiado pesado e não me deixar vir logo ao de cima.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Hoje deu-me para recordar os meus desenhos animados...

A Abelha MAIA

O DARTAcão

A Pantera Cor-de-Rosa

A Heidi nas montanhas

A culpa desta nostalgia toda é do ClubTsé e do post sobre a Feiticeira BIA.

Sol, praia, férias... e os meus óculos de sol!... um desejo súbito forçado a ser adiado por um mês...

O fruto proíbido é mesmo o mais apetecido.

Ainda não fui à praia neste verão nem até aqui tive qualquer vontade de ir. Prefiro ir na primavera quando a praia é só minha.

Pois bem... agora que sei que não posso ir porque tenho muito para fazer, é quando me apetece muito muito ir!

Incrível, não é? Estou tão básica.... :(

Foi para amanhã.... ou foi ontem?

Uma pérola... que faz hoje tanto sentido para mim e que espero que não se torne um hino para o meu mês de Julho.... "É para amanhã, é para amanhã!"...

--------------------------

E esta pérola, que encontrei no YouTube agora e que também fala do "amanhã" mas doutra maneira e para outros fins...

Lembro-me tão bem do programa do Herman O Tal Canal e das Doce... parece que foi ontem, não foi?...

E lembro-me também tão bem desta música que só hoje descobri o video de quando foi ao Eurovisão de 1981... é outra pérola da música portuguesa! Tem cor e alma. Ainda hoje sei a letra toda e canto-a com euforia quando a ouço.


Arte digital: "Women in art" by Philip Scott Johnson (Eggman913) 2007




É uma viagem ao mundo da história de arte no feminino... é incrível como tudo encaixa e como os quadros se fundem, aparentemente sem esforço, uns nos outros... que ideia impressionante e que perspicácia visual e visionária a deste autor... fabuloso, não é?

http://www.artgallery.lu/digitalart/women_in_art.html

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Nada é por acaso

Eu já sou crente e não preciso de mais provas para acreditar que nada é por acaso.
Quem disser que o acaso é por acaso, está a mentir ou anda a dormir ou sem norte.
Passo a explicar:
Ando a adiar há uma semana o início de mais uma provação... não, desta vez não será sob rodas mas será na mesma um desafio!!... terei de ficar em casa em frente a um computador lendo, estudando e criando uma obra científica inovadora... puf, um verdadeiro castigo para quem ama andar na rua....
Andava sorrateiramente a fugir de abraçar com unhas e dentes, mãos e alma este assunto... mas tive uma boa desculpa até aqui... procurava o tema do trabalho escrito da Pós G. ... e nada parecia soar bem.
Hoje, dia 4 de Julho, descobri o tema - saiu hoje a reforma do Código do Registo Predial no Diário da República!

Não podia ser mais útil e audaz, não vos parece?
Já que tenho de estudar e escrever algo novo ao mundo, ao menos que aprenda o que tenho de saber e dominar no meu dia-a-dia.
Vou estudar o SIMPLEX do Registo Predial!
Ena, nada mais SIMPLES, verdade?
Primeiro vou ter de ler muitos e muitos livros para saber o universo e lógica inerente aos Registos em Portugal e de seguida... terei a missão ingrata de comentar e criticar, com destreza e pertinência, as novas alterações ao nosso agora ex-regime legal em vigor...
Será que estão bem feitas? Será que melhorou o regime?
Será que se respeitam os princípios jurídicos regentes do Código?
Será que criou soluções para problemas ou trará problemas a solucionar?
Quanto custará a celeridade e simplicidade anti-burocrática à segurança jurídica?... (Jolinhas, esta foi para ti.)
O que vos parece? Um tema giro, verdade?
Espero que o meu professor aprove esta temática e me dê uma boa nota!
Preocupa-me agora o que irei escrever nas VINTE E CINCO páginas, com letra DOZE, intervalo UM E MEIO que me esperam nos próximos VINTE E SETE dias do resto da minha vida....

A ver.

terça-feira, 1 de julho de 2008

"Cabo Verde - Contos em Viagem", no Meridional



No domingo fui ver "Cabo Verde - Contos em Viagem" no Teatro Meridional.
Foi a minha primeira vez ali, na Rua do Açucar. Agora relembro que nada é por acaso.
Já os tinha visto no S.Luiz com a peça "Amanhã" e tinha gostado. E desta vez, fui à casa mãe.

Senti-me bem assim que cheguei. É um teatro pequenino, trendy, doce e curioso.
As pessoas ao nosso redor olham-nos com atenção. A bilheteira é uma rapariga muito meiga e bonita que está à nossa espera. O encenador (Miguel Seabra) recebeu-nos e fez-nos sentir que estávamos em sua casa e que nos queria receber o melhor que podia e sabia. Ofereceram um chá delicioso, café de saco e rebulçados. À entrada da plateia, emprestaram-nos um leque de madeira, com receio do calor no decorrer da peça. Senti-me super mimada e bem tratada. Fiquei impressionada com aquele cuidado em querer receber bem. Prometi voltar mas não por isso, mas pela qualidade da peça.


São apenas dois actores, uma conta e interpreta histórias ao vivo e o outro aconchega os nossos ouvidos com pertinência, humor e oportunidade.
A interpretação da Carla Galvão é de deixar o espanto calar o susto. Nunca tinha visto nada assim. Ela desdobra-se. Ela transforma-se. Ela é incrível. Ela é fabulosa. É impossível não aplaudir tanto talento e sentir o seu amor à arte de representar.
Ele, Fernando Mota, o músico, toca instrumentos inventados e cria sons únicos, extraordinários e originais.
Eles, a bela selecção de textos da Natália Luíza, a simplicidade e o calor emocional da cenografia, a energia magnífica da encenação de Miguel Seabra foram bastantes para não me conseguir esquecer daquela fabulosa viagem à lusofonia e às histórias e sabores de Cabo Verde.
Recomendo vivamente.
25 de Junho a 3 de Agosto de 2008
Quarta a Domingo às 22h (1 hora de espectáculo)
Bilhete: € 10